Notícias

Compre do pequeno: ‘Bebidas regionais apostam no comércio local’, diz Leonardo Sell

Tamanho da Fonte

A- A+

Diretor executivo do Guaraná Pureza critica governo por não dar suporte a pequenas empresas

Por: Frente Parlamentar | 10/06/2020

“As empresas de bebidas regionais apostam no comércio local e dependem disso para crescerem e ganharem a preferência do público”, afirma o diretor executivo da indústria Bebidas Leonardo Sell, Sérgio Murilo Sell. Ele pediu, nesta quarta-feira (10), em entrevista ao Portal de Bebidas Brasileiras, que os consumidores entendam a importância de valorizar e reconhecer o trabalho de pequenas e médias fábricas do segmento, principalmente durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19. A fábrica produz o Guaraná Pureza.

indústria, que fica em Rancho Queimado, a 60 quilômetros de Florianópolis, apoia a Frente Parlamentar Mista Bebidas Brasil  e fortalece a campanha “Compre do pequeno”. A mobilização busca a valorização de empresas regionais.

Repertório de produtos produzidos pela indústria Bebidas Leonardo Sell – Foto: Divulgação

Sell destaca que, graças ao apoio dos consumidores principalmente na capital de Santa Catarina, a fábrica registrou crescimento nas vendas do mês de maio. Segundo o executivo, a alta no faturamento da indústria quebrou a sequência de quedas no volume de vendas, em cerca de 20%, entre maio e abril.

O diretor destaca que janeiro, fevereiro e maio foram os meses que, na comparação com o mesmo período do ano passado, tiveram resultados melhores. No entanto, Sell pondera que, em média, o faturamento deste ano está pouco acima do resultado registrado no mesmo intervalo de tempo, em 2019, por causa da pandemia.

Gestão empresarial para enfrentar a pandemia

“No início da pandemia, determinamos o afastamento de colaboradores que se enquadrariam nos grupos de risco e também os de que estavam com suspeita de virose. Ainda em março, nossos funcionários passaram a utilizar álcool em gel e a higienizar os veículos de distribuição com álcool 92,8%”, explica o empresário.

Sell pondera que a empresa adotou todas as medidas preventivas recomendadas por autoridades da saúde para seguir com a produção e distribuição.

‘Crise econômica é inafastável em razão da pandemia’

“Não há uma panaceia que possa evitar o fechamento de negócios em geral. A crise econômica é inafastável em razão da pandemia”, lamenta o diretor. “O governo ainda não deu sua parcela de suporte às nossas empresas. Acredito que a compreensão das autoridades e o suporte aos problemas individuais de cada uma das empresas poderão fazer a diferença”, sugere ele.

Sell ressalta que vê, na criatividade e no bom relacionamento comercial, uma forma de tentar manter o faturamento do negócio nos mesmos níveis de 2019, em que chegaram a crescer 20% em comparação a 2018.

O executivo conta que, no início da pandemia no Brasil, com a publicação de decretos pedindo o isolamento social da população e o fechamento do comércio no Estado, a fábrica chegou a fechar as portas durante três dias. No entanto, segundo o empresário, graças ao bom trabalho do setor comercial, a indústria não teve de reduzir salários e nem demitir colaboradores.

“Uma parcela dos setores econômicos de mercado, com os cuidados recompensados, estão voltando gradualmente às atividades”, ressalta o executivo, sobre a reabertura de pontos do comércio. “A normalização crescente estabelece uma rotina de consumo de alimentos e bebidas”, completa ele.

Consumidor tem carinho e consideração conosco’

O representante da indústria Leonardo Sell também destaca a relação vitoriosa com os consumidores do Estado, e afirma que a população da grande Florianópolis “adotou” o Guaraná Pureza como referência de bebida regional.

“Felizmente, para com nossa fábrica, o consumidor local tem um grande carinho e consideração. Gostaríamos que o público expandisse esse reconhecimento a todos os setores reflexionais”, disse o diretor, pedindo para que a população valorize as empresas regionais de Santa Catarina. “As indústrias têm um nome e um rosto pelo qual são conhecidas. São nossas vizinhas, conterrâneas e amigas, que vendem seus produtos e têm uma assinatura de garantia”, destaca Sell.

As pequenas e médias empresas regionais são mais ‘personalizadas’ e apostam no comércio local. Sendo assim, elas dependem desse mercado, porque devem crescer e ganhar reconhecimento e preferência do público”, ressalta o diretor.