Notícias

Compre do pequeno: ‘Precisamos valorizar nossa gente’, diz Refrigerantes São José

Tamanho da Fonte

A- A+

Diretor da fábrica afirma que postura do governo na divulgação de informações gera insegurança

Por: Frente Parlamentar | 17/06/2020

“Fábricas regionais são da casa, são do Brasil. Precisamos valorizar nossa gente”, afirma o diretor da indústria Refrigerantes São José, Lucio Mauro Zanata dos Santos. Ele destacou, nesta terça-feira (16), em entrevista ao Portal de Bebidas Brasileira, que apesar das dificuldades provocadas pela pandemia da Covid-19 no Brasil, a empresa mantém relação comercial e busca compreender os contratempos enfrentados pelos clientes neste período. O negócio fica em Garça, município localizado a 412 quilômetros de São Paulo.

A indústria apoia a Frente Parlamentar Mista Bebidas Brasil e fortalece a campanha “Compre do pequeno”. A mobilização busca a valorização de produtos regionais, principalmente durante o surto do novo coronavírus do país. Com mais de 891 mil casos confirmados, o Brasil está só atrás dos Estados Unidos (2.159.787) com mais registros da doença.

Bebidas produzidas pela fábrica Refrigerantes São José – Foto: Divulgação

Santos diz que o desempenho comercial da fábrica e o faturamento do negócio registraram queda de cerca de 30%. Segundo ele, o acesso aos recursos e subsídios anunciados pelo governo é uma das principais dificuldades enfrentadas pela empresa. O executivo de bebidas afirma que o fluxo de caixa foi totalmente alterado por causa dos efeitos do isolamento social e fechamento do comércio imposto pelo governo.

“A tarefa de julgar as informações transmitidas é difícil. As lideranças governamentais estão dispersas e isso provoca insegurança na credibilidade”, critica o diretor.

‘Varejo sofre com a pandemia’

O diretor avalia que, por fazer parte do grupo das pequenas empresas regionais, não chega a se relacionar com o grande varejo. “O pequeno varejo sofre demais com a pandemia. Acreditamos que muitos empresários não voltem a operar”, lamenta Santos.

Segundo o executivo de bebidas, a indústria Refrigerantes São José tem profissionais extremamente dedicados. “Estamos enfrentando essa crise com mais serenidade, mas acabamos sentindo uma diminuição drástica em nossas coberturas”, pondera o diretor.

Santos acredita que o reflexo da queda na atividade econômica ainda está por vir. “Se o isolamento se estender e houver ainda mais retração, precisaremos reorganizar nossas estratégias e rever nossas estruturas operacionais, fazendo o necessário para a continuidade das atividades”, afirma o executivo de bebidas.

O diretor conta que, no início da pandemia, a empresa consultou o setor jurídico para interpretar e avaliar os possíveis riscos provocados pelo isolamento social. Reorganização dos departamentos comerciais, de produção, logística e administração foram algumas das providencias tomadas pela diretoria para lidar redução de jornada e salários, previstos em medidas provisórias do governo, e as férias dos colaboradores.